Se você tem alguma dúvida sobre a saúde do seu animal
PERGUNTE AO
VETERINÁRIO

vet@kennelclub.com.br
DERMATITES SOLARES
Dra. Cláudia Fonterrada - Koala Hospital Animal

DERMATITE SOLAR
É uma reação actínica que ocorre na pele branca, clara ou lesionada (áreas despigmentadas ou cicatriciais) não protegida por pêlos. A doença ocorre devido à exposição direta ao sol ou por reflexão. A rapidez de instalação e a gravidade do processo dependem de fatores ligados ao animal, tempo de exposição e intensidade da luz solar. A dermatite na verdade é uma queimadura solar.


DERMATITE SOLAR NASAL CANINA
É uma reação actínica na pele nasal despigmentada de cães. Inicialmente a pele torna-se vermelha e descamativa. Se a exposição solar for contínua, a pele ao redor da lesão também será acometida e perderá pêlos. Com a evolução do quadro, ocorre eliminação de líquido, formação de crostas e ulceração, principalmente se o animal coçar a área. Se nessa fase o animal for tratado com protetor solar, ocorre cicatrização total. Se o tratamento for iniciado em casos mais avançados, há a formação de cicatriz. A cicatriz fica mais susceptível à lesão solar e com o tempo a área afetada pode aumentar. Pode haver evolução para carcinoma.
O tratamento é feito com uso de protetor solar, corticosteróides e prevenção da exposição solar entre 9:00 h e 15:00 horas.
O diagnóstico pode ser simples e direto ou complicado, dependendo da cronicidade da lesão. A confirmação é feita pela biópsia.


DERMATITE SOLAR FELINA
Dermatose actínica crônica de orelhas brancas e, ocasionalmente, pálpebras, focinho e lábios de gatos que sofrem exposição crônica à luz solar. As lesões são semelhantes às descritas em cães.
O tratamento e a prevenção são os mesmos descritos para cães. Em muitos casos, há necessidade de amputar as extremidades das orelhas. Essa mesma patologia pode ocorrer no tronco e extremidades de cães brancos e com pigmentação clara.