Se você tem alguma dúvida sobre a saúde do seu animal
PERGUNTE AO
VETERINÁRIO

vet@kennelclub.com.br

Pequenos cuidados que podem evitar
grandes problemas.
Koala Hospital Animal

Os problemas de dentição dos cães costumam surgir na velhice, sendo os mais comuns o tártaro, oclusão irregular, gengivite e conseqüente perda de dentes.

No entanto grande parte destes problemas tem origem na juventude e por hábitos alimentares incorretos.

Os chamados cães de companhia costumam apresentar forte mau hálito, saliva grossa e muitas vezes dificuldades em mastigar. A placa bacteriana e o tártaro chegam a atingir 80% dos cães de pequeno porte com mais de 7 anos. Isso se deve à maior proximidade destes pequenos cães com seus donos o que leva a uma dieta que inclui alimentos humanos como pão, doces, restos de pratos e toda sorte de guloseimas, que contribuem para a deterioração dos dentes dos animais. Os cães maiores sofrem menos, pois costumam receber uma alimentação mais à base de rações industrializadas.

Caso estes sintomas já tenham ocorrido a solução é a limpeza dos dentes, ou em casos extremos até mesmo a sua extração. O tártaro pode provocar gengivite e as partes afetadas devem ser curetadas. Algumas vezes a infecção da gengiva provoca a descalcificação da base óssea onde o dente se fixa, podendo ocorrer o amolecimento. Neste caso deve ser efetuada uma avaliação e um tratamento de recalcificação.

A alimentação correta é fundamental pois as rações duras e secas fazem um trabalho de raspagem ajudando a diminuir a deposição da placa bacteriana.

Também é recomendável acostumar o cão desde jovem a ter seus dentes escovados. O uso de fio dental também é recomendável, embora nem todos os cães tolerem.

Em resumo, a maior parte dos problemas de dentição que surgem na velhice pode ser evitada com disciplina e cuidados simples que devem ser tomados durante toda a vida do cão, sempre com uma boa dose de carinho.