Características Gerais

Padrão FCI n. 326
Grupo n. 1, Cães Pastores e Boiadeiros (exceto os Suiços)
Tamanho gigante; não há restrição quanto a altura máxima, podendo chegar a 90 cm ou mais; M-mínimo: 65 cm; F-mínimo: 62 cm
Peso 55 a 75 kg
Pelagem longa
Agressividade altíssima
Aptidão pastor, guarda, segurança e companhia
Atividade
Espontânea
moderada
Área para criação grande
País de Origem Rússia

 

Clique para ver

 
Ioujnorousskaia Ovtcharka

Esse gigantesco cão pastor tem a sua origem nas inóspitas estepes da Ucrânia, que fazia parte da antiga União Soviética Européia.

Seus antepassados, os antigos Ovtcharka, que originalmente possuíam uma pesada pelagem encordoada, são provavelmente do tronco dos grandes cães, muito similares em tipo com os do Tibet.

Esses animais foram levados para o oeste com a migração ocorrida vários séculos A. C.. Alguns foram deixados na Ucrânia, enquanto outros acompanharam os nômades ainda mais para oeste até a Hungria, onde formariam as bases da raça Komondor.

Em 1797 cães pastores espanhóis, menores que o antigo Ovtcharka, foram levados para a Ucrânia junto com os merinos (raça de ovelhas), mas devido ao tamanho, eram incapazes de proteger adequadamente os rebanhos contra os lobos. Esses cães espanhóis foram cruzados com os originais cães encordoados, resultando na raça hoje conhecida como Pastor da Rússia Meridional.

No início do século XIX, alguns exemplares foram levados para a Inglaterra pelo Mar Báltico em navios mercantes e outros chegaram até os E.U.A onde tiveram, por um curto espaço de tempo, o reconhecimento do AKC (American Kennel Club) no grupo de cães provisoriamente reconhecidos.

Pouco tempo depois eles desapareceram e só podiam ser encontrados no interior da Rússia. Ainda hoje, mesmo na Rússia, eles são escassos e apenas alguns poucos podem ser vistos em grandes exposições.

A maioria desses cães é criada pelo Exército Vermelho, onde são utilizados como cães de guarda, para tomar conta de áreas industriais, instalações isoladas ou ainda para trabalhar junto às tropas. Os militares, logicamente, selecionam os mais agressivos e a sua exportação da Rússia é proibida.

A não muito tempo atrás, vários desses guardiões gigantes foram retirados secretamente do país e levados para a Europa.

Um casal suíço possui três exemplares da raça, que eles, no melhor estilo James Bond, conseguiram contrabandear de Moscou e Leningrado.

O Pastor da Rússia Meridional, embora não tão agressivo como aqueles criados pelo Exército Vermelho, é muito protetor e inteligente, exigindo, portanto, um dono de pulso firme. Eles são mais rápidos do que a maioria dos cães de guarda e praticamente não avisam quando vão atacar e realmente atacam quando percebem que seu dono corre algum risco. Uma criação inadequada pode transformar esses cães em assassinos. Eles precisam de muito espaço não só para exercícios, mas para manterem os intrusos fora de seu reino. Criadores russos da atualidade dizem que esse cão é extremamente vigilante e mesmo com os olhos fechados, eles certamente estão "vendo" tudo.

A pelagem é dupla, com subpêlo lanoso e pêlo longo, profuso e brilhante. Apesar de longo, o pêlo não encordoa como nos primeiros Ovtcharka, seus antecessores.

A cor é normalmente o branco, mas qualquer tom pastel como creme, cinza claro, com ou sem branco é permitido.

Na aparência geral o Pastor da Rússia Meridional é um cão robusto, com tamanho e velocidade muito acima da média. É um gigante, com forte estrutura óssea e boa massa muscular. A cabeça é longa, com crânio moderadamente largo e focinho alongado com abundância de pêlos que formam bigodes. As orelhas são proporcionalmente pequenas, triangulares e caídas bem junto à cabeça.

A cauda é longa com a ponta curvada apara cima e portada baixa quando o cão está em repouso.

 


Voltar

 


Clique aqui.


Para retornar na sua pesquisa, clique no botão do seu Browser!